FERNANDO DINIZ

Nasceu em Aratu, Bahia, em 1918. Mulato, pobre, nunca conheceu o pai.
Aos 4 anos de idade veio para o Rio de Janeiro com sua mãe que era excelente costureira. Morando em promíscuos casarões de cômodos, costumava acompanhá-la quando ia trabalhar em casas de famílias ricas e abastadas.
Desde garoto o sonho de Fernando era estudar para ser engenheiro. Inteligente, foi sempre o primeiro aluno da classe. Chegou até o 1º ano científico mas abandonou os estudos.
Em 1949 começa a freqüentar a Seção de Terapêutica Ocupacional. Quando chegou ao ateliê, não levantava a cabeça e sua voz baixa mal se ouvia. Ao ser perguntado sobre a razão da beleza de suas pinturas respondia:Não sou eu, são as tintas. Em sua obra mescla o figurativo e o abstrato, abarcando das mais simples às mais complexas estruturas de composição.
Sua produção no museu é estimada em cerca de 30 mil obras: telas, desenhos, tapetes, modelagens. Em parceria com o cineasta Marcos Magalhães realizou o premiado Estrela de Oito Pontas, desenho O reconhecimento do seu trabalho veio mediante exposições no Brasil e no exterior, publicações, filmes e vídeos.
Fernando morreu em 5 de março de 1999 de cardiopatia e câncer.





Guache sobre papel - Sem data
33 X 48 cm