O Festival Internacional de Humor em DST e Aids é uma iniciativa do Ministério da Saúde e do Instituto Memorial de Artes Gráficas (IMAG). Conta com 300 cartuns, selecionados de 1.500 trabalhos, vindos de 50 países. É mais uma ação do Programa Nacional de DST e Aids que há mais de 20 anos está na luta contra a doença, promovendo e formulando políticas públicas para o acesso ao tratamento, às formas de prevenção, à dignidade, à cidadania, e à não-discriminação da pessoa vivendo com HIV e aids.

A palavra humor está relacionada à saúde. Os humores na Roma Antiga significavam os quatro líquidos que circulam em nosso corpo. Para os romanos quem tivesse os quatro humores em equilíbrio seria uma pessoa bem-humorada e, conseqüentemente, saudável. Será verdade, portanto, que o riso pode ajudar no processo de cura ou na mudança de comportamento?

A percepção de artistas sobre a DST/HIV/Aids - um mosaico colorido e espontâneo das diferentes culturas do mundo - atua nesse espaço instigante do humor e traz, sem dúvida, um rico resultado a ser trabalhado nas mais variadas formas de comunicação e educação. O principal objetivo é fixar a idéia de que a saúde é coisa séria, mesmo quando o instrumento é uma abordagem criativa, onde o riso é a estratégia para discutir importantes temas como Prevenção, Tratamento e Direitos Humanos.

A Edição do I Festival Internacional de Humor em DST e Aids lança mão da liberdade poética de criar uma montagem atraente, em que o diálogo entre as imagens potencialize a curiosidade das pessoas. Os destaques querem, antes de tudo, brincar com o olhar, acionar o pensamento e as referências da memória.

Dos 300 cartuns selecionados, foram premiadas três obras, uma em cada tema, e todos estão presentes na mostra, podendo variar de mídia em consonância com o local que os recebe. O mais importante é curtir um espaço lúdico e criativo, interagir com idéias, rir de situações inusitadas e refletir sobre o nosso comportamento diante dessa questão e das implicações na sociedade.

No circuito pelas cidades por onde passa, a proposta da itinerância é fortalecer parcerias, fomentar o debate, disseminar as informações referentes à prevenção das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), HIV e aids, permitindo ao público ver e sentir, por meio das obras dos artistas, o que se pensa, o que se discute em relação à doença e a participação social na conquista de um mundo mais saudável, onde prevaleça a dignidade humana e o respeito às diferenças.

Equipe Ministério da Saúde

Este cartum mostra uma fila sinuosa de peças de dominó, a maior parte caídas sobre uma superfície. As três primeiras peças, da direita para a esquerda, estão em pé e uma delas está “vestida” com uma camisinha.