Centro Cultural do Ministério da Saúde





Avança a derrubada do elevado da Perimetral na Praça XV


Obras que marcam a renovação do porto carioca trazem novos ares ao Centro Cultural do Ministério da Saúde.


Dezenas de operários trabalham todos os dias na demolição do viaduto da Avenida Perimetral na região da Praça XV. O desmanche abre espaço para um novo sistema de mobilidade urbana, que deverá ser implantado até 2016, quando o Rio sediará os Jogos Olímpicos.

Derrubada do elevado da Perimetral na Praça XV


Derrubada do elevado da Perimetral na Praça XV


O viaduto da Perimetral foi erguido nos anos cinquenta como alternativa de tráfego para as congestionadas vias existentes, permitindo a ligação direta entre as Zonas Sul e Norte da cidade.

A construção do Elevado, no entanto, trouxe prejuízos para o cenário do Rio de Janeiro, como a remoção de diversos prédios históricos, incluindo o conjunto de pavilhões do Mercado Municipal, inaugurado em 1907. Do antigo Mercado, vizinho do CCMS, restou apenas a torre onde atualmente funciona um restaurante.


Patrimônio Histórico

O prédio que hoje abriga o Centro Cultural do Ministério da Saúde e assiste à nova transformação do espaço urbano carioca é resultado de outro projeto de modernização da cidade: o desmanche do morro do Castelo, no início do século passado. Acreditava-se que o morro dificultava a circulação do vento que vinha da Baía de Guanabara, contribuindo para moléstias e epidemias que atacavam a população.

À derrubada da colina do Castelo seguiu-se o aterro onde se instalou a Exposição Internacional Comemorativa do Centenário da Independência do Brasil, realizada em 1922. A mostra revelava as potencialidades brasileiras nos diversos setores da vida nacional. Dentre as construções da Exposição, destacou-se o Pavilhão da Estatística, projetado pelo professor Gastão Bahiana, da Escola Nacional de Belas Artes, hoje ocupado pelo CCMS.


As lentes do fotógrafo Augusto Malta (1864 – 1957) registraram a construção do Pavilhão da Estatística para a exposição comemorativa do centenário da Independência, em 1922. As imagens foram cedidas gentilmente pelo Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro.

As lentes do fotógrafo Augusto Malta (1864 – 1957) registraram a construção do Pavilhão da Estatística para a exposição comemorativa do centenário da Independência, em 1922. As imagens foram cedidas gentilmente pelo Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro.