Centro Cultural do Ministério da Saúde





CCMS se despede da Casa Colômbia


Centro Cultural sediou a Casa do país vizinho durante as Olimpíadas e Paralimpíadas Rio 2016

Entre os dias 05 e 21 de agosto, a cidade do Rio de Janeiro parou para receber o megaevento internacional dos Jogos Olímpicos 2016. Logo em seguida, entre 07 e 18 de setembro, foi a vez de a cidade sediar as Paralimpíadas, a primeira a ser realizada na América Latina. Estima-se que os Jogos tenham atraído 1,17 milhões de turistas, além de ter ocupado 94% da rede hoteleira da cidade, consagrando-se como um dos maiores eventos já realizados no Rio. E o Centro Cultural do Ministério da Saúde não ficou de fora deste grande acontecimento esportivo e cultural, que atraiu para cá os olhos de todo o mundo.



Legenda: O stand do Café Juan Valdez, uma das principais atrações da casa, tinha fila para degustação



Legenda: A fachada do Centro Cultural durante o período em que sediou a Casa Colômbia


Durante os Jogos, os Comitês Olímpicos de vários países trouxeram não apenas suas delegações de atletas: instalaram, em espaços culturais importantes da cidade, casas temáticas para promoção da cultura de seu país, que funcionaram como centros turísticos, artísticos e expositivos de suas tradições. Foi assim que o prédio do Centro Cultural do Ministério da Saúde sediou, de 06 de agosto a 18 de setembro, a Casa Colômbia – atraindo diversos visitantes de todo o Brasil e de todo o mundo para o prédio histórico situado na Praça XV.


Seja pela localização privilegiada – integrada ao passeio construído especialmente para as Olimpíadas, denominado Boulevard Olímpico, que liga a Praça Mauá à Praça XV –, seja pela beleza arquitetônica – trata-se de uma construção histórica, que remonta às comemorações do Centenário da Independência do Brasil, em 1922 –, o fato é que o prédio do Centro Cultural do Ministério da Saúde recebeu cerca de 90 mil visitantes durante o período em que abrigou a Casa Colômbia.


Neste tempo, o público pôde entrar em contato com a cultura de nosso país vizinho através de uma série de eventos, promovidos pela Embaixada da Colômbia no Brasil em parceria com o Comitê Olímpico Colombiano, tendo sido este o único país sul-americano, além do Brasil, a ter uma Casa de promoção da cultura. Ali, pôde-se apreciar as famosas rosas colombianas, permanentemente expostas, além de degustar, gratuitamente, o Café Juan Valdez, reconhecido internacionalmente como o melhor do mundo. Peças de artesanato local, como louçaria e cestaria típicas, também ficaram em exposição no Centro Cultural, constantemente embalado pela Cúmbia, tradicional ritmo latino. Outra atração da Casa foi a exposição virtual e interativa do acervo do Museu do Ouro, pertencente ao Banco da República, que apresentou aspectos relevantes da arte, da cultura e do patrimônio do país.


Palco de recepção dos oito medalhistas, que consagraram o melhor desempenho do país em jogos Olímpicos, a Casa contou, ainda, com um Consulado Móvel, para atender as demandas da comunidade colombiana – ótima oportunidade para os quase oito mil colombianos que moram no Rio de Janeiro e não contam com uma representação consular fixa na cidade.


O Centro Cultural do Ministério da Saúde, fechado ao público temporariamente, despede-se da Casa Colômbia com os preparativos para a reinauguração a todo vapor. Mergulhados no universo da gestação e da maternidade, preparamos uma grande exposição sobre a saúde da mulher e do bebê, atravessando questões ligadas à concepção, ao parto e ao puerpério, e que promete agraciar o público com mostras artísticas, interativas e informativas. A expectativa é absorver os visitantes da Casa para nossas futuras exposições, como parte do tão esperado “legado olímpico”, e fazer, assim, uma grande reabertura.




Legenda: Na parte interna do prédio, o público confere os objetos em exposição



Legenda: À noite, a Casa Colômbia contou com iluminação especial, nas cores da bandeira do país