Mostra virtual CCMS

Sociedade Viva

Violência e Saúde

Imprimir

Projeto Quatro Varas

Na cidade grande

A mendicância torna-se um meio de sobrevivência

Enfim, após uma viagem extenuante, os retirantes chegam à cidade grande em busca da concretização de seus sonhos. Desde o primeiro momento, enfrentam uma série de problemas dramáticos: encontrar um abrigo; suportar o barulho e o mau cheiro proveniente dos esgotos a céu aberto e do lixo; viver em espaços reduzidos; enfrentar e conviver com as doenças e todas as violências e agressões que caracterizam a vida nas favelas.

Este desenho em cores mostra cena de mendicância em uma cidade. À esquerda, veem-se dois adultos e duas crianças sentados sobre malas em frente a estabelecimento comercial. Nota-se que usam roupas e sapatos simples, além de expressarem feições fechadas. Ao fundo, há um caminhão levando pessoa na carroceria e transeuntes pelas ruas
Neste desenho em cores, notam-se adultos e crianças chegando com malas e outros objetos a uma vila simples à beira da praia. As casas são pequenas e humildes e vê-se apenas uma pessoa caminhando entre as moradias.

Ao contrário do que presumiam, a cidade não os acolhe, não abre suas portas para recebê-los. Eles chegam, mas não penetram. Permanecem na sua periferia, formando um cinturão de miséria. Neste novo universo, os sonhos tornam-se pesadelos e a esperança de dias melhores pouco a pouco cede espaço à tristeza e à revolta. Mais uma vez, o sertanejo precisa se adaptar e lutar para sobreviver.

A indiferença da cidade diante de tanto sofrimento torna-se uma violência contra a vida, pois não lhe é reconhecido o direito de pertencer a uma sociedade.

O fim de uma viagem cansativa significa o início de novas dificuldades. Cada família fica entregue à sua própria sorte, ninguém os espera, ninguém os acolhe...

Perdidos na cidade que os assusta, os sonhos tornam-se pesadelos. Resta apenas a vontade de sobreviver e construir uma casa para abrigar a família.

Neste desenho em cores, notam-se adultos e crianças chegando com malas e outros objetos a uma vila simples à beira da praia. As casas são pequenas e humildes e vê-se apenas uma pessoa caminhando entre as moradias.
Neste desenho em cores, notam-se adultos e crianças chegando com malas e outros objetos a uma vila simples à beira da praia. As casas são pequenas e humildes e vê-se apenas uma pessoa caminhando entre as moradias.

Aconselhados pelos habitantes da favela, os recém chegados saem em busca de um lugar para construir seu casebre, numa terra reservada para a especulação imobiliária.

A cena retratada no desenho em cores revela homem com roupas simples recebendo família, também humilde, carregando grandes volumes e malas debaixo dos braços. Ao fundo, percebe-se uma criança na porta de uma pequena casa olhando para as pessoas que chegam.

Para muitos, só resta encontrar antigos amigos que migraram em anos anteriores. Assim, na favela uma pequena casa passa a abrigar inúmeras famílias.

Este desenho em cores mostra, à esquerda, adulto, criança e cachorro caminhando, além de mulher amamentando bebê e, sobre sacos e caixotes de madeira, um homem e duas crianças. A outra parte da figura mostra mais uma mulher sentada sobre caixa, fazendo fogueira, e ainda duas pessoas conversando. À extrema direita, há três casas simples e uma árvore. Na parte inferior, de uma lateral a outra, veem-se vários prédios com antenas parabólicas.